Já ouviu falar na Colastrina?

Já ouviu falar na Colastrina?

Se você acha que está um pouco acima do peso e tem procurado saber alguma maneira de perder esses quilinhos sem dieta, remédios químicos agressivos ou horas na academia, com certeza já deve ter ouvido falar da Colastrina.

A Colastrina Africana (ou Wild Mango, African Mango ou Bush Mango, como você pode ter lido por aí) é a mais nova surpresa do mercado de emagrecimento rápido que chega ao Brasil. Mas, se você anda desinformado e não ainda não ouviu falar da Manga Africana, gaste 5 minutinhos com esse texto e se surpreenda com o produto que está ao seu alcance agora!

Uma das principais características do Extrato de Colastrina Africana que ajuda no controle de peso é a inibição da proteína C-reativa, também chamada de CPR. Essa proteína inibe a ação da leptina, um hormônio produzido pelo nosso corpo que controla a sensação de saciedade e fome, ou seja, controla o apetite.

Diminuindo a CPR, a leptina pode agir livremente. Como se não bastasse, a Colastrina Africana ainda ajuda a regular os níveis de adiponectina, que não só ajuda no metabolismo, mas também torna as células mais sensíveis à insulina, diminuindo a necessidade do corpo de ingerir açúcar, o que não só acarreta na diminuição do apetite, mas também como uma melhor queima de gordura.

Ao contrário dos outros produtos naturais anunciados por aí, o Extrato de Colastrina Africana possui sim respaldos científicos na comprovação dos seus resultados. Estudos ministrando uma dose de 300mg diárias desse extrato mostraram resultados positivos quanto aos níveis de colesterol, glicemia, e proteínas e hormônios do apetite, como a leptina e a adiponectina, além de proporcionar uma perda de peso acentuada e uma redução de mais de 5% no nível de gordura dos indivíduos.

Todos esses resultados e benefícios são apresentados sem o registro de nenhum efeito colateral. Na verdade, estudos mostraram que o único efeito colateral do uso da Colastrina Africana foi a queda no apetite o que, cá pra nós, pra quem quer perder uns quilinhos é uma baita mão na roda!

O nome científico dessa planta que está mudando o jeito de perder peso no mundo todo é Irvingia Garbonensis. O extrato é feito com as sementes dessa planta e foi descoberto após estudos com tribos africanas que usavam essas sementes em seus caldos e sopas para engrossá-los. Foi verificado que indivíduos que consumiam essas sopas frequentemente tinham pouquíssimos problemas com obesidade, diabetes e doenças relacionadas.

Agora que você já sabe como funciona o Extrato de Colastrina Africana, que tal experimentar e começar a perder peso agora?

Como entender o cálculo do IMC (Cálculo do IMC)

Você acha que está um pouco acima do peso ideal, quer se livrar de algumas gordurinhas extras e ouviu falar que o cálculo do IMC – Índice de Massa Corporal – pode servir para verificar como está a sua saúde. Mas, antes de começar a fazer contas, se confundiu, ficou com algumas dúvidas e precisa de informações.

O cálculo do IMC – que muitas vezes também é escrito como Índice de Massa Corpórea – é um indicador. Ele faz uma conta entre o seu peso total pela sua altura elevada ao quadrado e apresenta um resultado. Esse resultado é conferido em uma tabela, com diversas escalas e margens, que vai dizer onde você se encaixa. O cálculo do IMC é a seguinte:

IMC = Peso/Altura

A conta é feita considerando o seu peso em quilos e sua altura em metros, com duas casas decimais. Munido do resultado você confere a sua situação na tabela. O problema é que as tabelas vistas na internet raramente apresentam sugestões do que pode ser feito para lidar com a situação, e geralmente apenas trazem a indicação do resultado do cálculo do IMC da pessoa. Aqui vai uma tabela que apresenta algo além dos níveis de peso e sobrepeso, como algumas sugestões de como tratar o problema. Veja a tabela abaixo:

IMC CLASSIFICAÇÃOO QUE FAZER?*

< 18,5Indivíduo magro

Melhorar a alimentação

18,5 ó 24,9

Indivíduo saudável

Manter a alimentação balanceada;

Exercícios físicos leves.

25,0 ó 29,9 Indivíduo com sobrepeso

Restrição de calorias na alimentação;

Exercícios físicos leves.30,0 ó 34,9 Indivíduo com obesidade leve

Restrição de calorias na alimentação;

Exercícios físicos leves;

35,0 ó 39,9 Indivíduo com obesidade severa

Restrição de calorias na alimentação;

Exercícios físicos leves;

Possível uso de medicamentos;

Possibilidade de cirurgia.

= 40 Indivíduo com obesidade mórbida

Restrição de calorias na alimentação;

Exercícios físicos leves;

Tratamento com medicamentos como Quitoplan funciona e anfepramona;

Eventual cirurgia.*Procure sempre orientação médica especializada antes de levar a sério qualquer uma dessas sugestões.

De qualquer maneira, tenha em mente que o cálculo do IMC é apenas um indicador – não muito preciso – da situação do seu peso. Muitos outros fatores devem ser considerados – se esse peso é composto de massa magra ou gorda, nível de gordura, etc. – antes que se possa taxar uma pessoa como obesa por meio do cálculo do IMC.

Ele foi criado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como um simplificador, para que as pessoas possam ter uma referência da sua situação de maneira simples para, a partir daí, buscarem uma orientação profissional ou um tratamento médico. Enfim, o cálculo do IMC é útil e funciona sim, apenas não deve ser o único indicador utilizado.

Veja como comprar quitoplan aqui: http://dietasmilagrosas.com.br/quitoplan-funciona-composicao-beneficios-como-comprar/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *